Viva e deixe viver...

Viver é como estar constantemente no "país das maravilhas", por isso estou sempre no limite da razão, porque a vida é bela, insana e incerta, e como diria um cantor: " depende de como você a vê..."

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Oktoberfest - "Um barril de chopp é muito pouco para nós, dois barris de chopp é muito pouco pra nós..."

Sou dessas que adora conhecer coisas novas, só pra ter a experiência de dizer: já fui! A Oktober que ocorre em Blumenau/SC é uma dessas coisas que sempre tive vontade de ir. Quem não teria? muita festa, gente bonita e cerveja para todos os gostos. 
O ano de 2012 foi um ano estressante para mim e minhas amigas de faculdade, estávamos nos formando, desesperadas para apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso -TCC, eu tinha alergia a cada dois dias de tanto que o perfeccionismo estava intolerável! E um dia simplesmente pensamos: Vamos a Oktoberfest! Let's go girls!
Destino na cabeça, cinco anos de faculdade acumulando em peso na mente e muita vontade de fugir da vida real, apresentaríamos o TCC em setembro o que nos traria duas opções de motivos: Comemorar, celebrar o ritual de passagem e o término do curso ou chorar a reprovação (nunca se sabe né?!). Felizmente tivemos o primeiro motivo, nota 10 no TCC, alma lavada e o peso das costas sendo retirado.
Não sei se isso ajudou em tornar essa viagem incrível, a sensação de que o mundo era meu e que tínhamos agora todo tempo do mundo.
A viagem de ida foi cansativa, muitas horas no aeroporto e depois ônibus (não tem aeroporto doméstico na cidade, então você tem que parar em navegantes e de lá enfrentar quase uma hora de baú até Blumenau).
A noite íamos ao Parque Vila Germânica desfrutar da festa:


Experimentamos dos mais variados tipos de cerveja, algumas não aguento nem sentir o cheiro, depois de passar por nacionais e importadas, elegemos nossa preferida e daí pra frente, sempre que íamos pegar cerveja, era líquido e certo ir no galpão da Eisenbahn (sério, o melhor chopp que já tomei, depois dela, Stella parecia água pra mim).
Toda a viagem foi super boa, mas o melhor dela, não foi a festa, mas as pessoas que encontramos no caminho: de médicos, químicos, turismólogos, escritores, filósofos, pessoas de estilos diferentes e diversos cantos do país: paraíba, do sul, do Rio, de Sampa. Com direito a conversas e indicações de livros no meio de uma festa regada a cerveja, não, não estávamos discutindo "Freud, Jung, Engels e Marx, meras intrigas intelectuais em mesa de bar", estávamos ganhando alguns amigos. 
Durante o dia assistíamos aos desfiles no centro da cidade e angariávamos cantadas, uma delas, a mais engraçada que já ouvi: Uma amiga comentando, como uma criança no desfile era linda (aquele bebê de comercial, com direito a olhos azuis intensos e bochechas rosadas) e o sujeito do lado dizer: "Tu queres um deste? providenciamos agora" (sic).




Com direito a boneco assustadores! Sim, eles são bizarros. Mas a festa em si é muito bonita, o desfile é animado, os moradores se empenham para tornar a festa algo incrível de se ver.


Durante os desfiles, alguns distribuem cerveja para quem está na grade. 
Uma festa bonita e organizada. Não presenciei nenhum ato de vandalismo, briga ou sequer discussão.  
Foi uma experiência ímpar.




Vale super a pena ir e conhecer a cultura deles e participar da festa. Super recomendo!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário